Aurismar Mazinho Monteiro

Uma pena meramente entusiástica.

Textos


Fogo brando, eterna brasa...

Das fogueiras festejantes

vejo cortinas esfumaçantes

sob um calor irradiante...

O fogo forte arde em chamas...

Doutros nortes logo inflama

um querer que só reclama

quem foi o norte deste que ama

ainda o calor da cama

e o amor de uma bela dama

que, de jeito incandescente,

queimava vorazmente

todo o eu deste amante,

que agora, sofregamente,

sofre só, perdidamente,

entre fumaças asfixiantes

de fogo brando, certamente,

ante o fogo mais escaldante,

que é a memória inflamante,

qual brasa ou chama incessante,

ardendo em mim eternamente...

Daí um fogo alucinante,

que abrasado e languidamente

faz meu coração carente,

bater triste para sempre...


Imagem: Internet - Google

AURISMAR MAZINHO MONTEIRO
Enviado por AURISMAR MAZINHO MONTEIRO em 24/06/2013
Alterado em 16/01/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.aurismarmonteiro.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras