Aurismar Mazinho Monteiro

Uma pena meramente entusiástica.

Textos


Sinto frio... Pudera!

                                                           Senti frio nessa manhã,
                                                   desde a jovem madrugada.
                                            Permaneci no leito, no afã
                                    de uma hora ensolarada...

                   Senti frio nessa tarde,
                           mesmo com sol ardente...
                                    Pudera! Já que me invade,
                                             teu longe rosto, vorazmente!

                                   Sinto frio nesta noite,
                          embora quente de verão...
                 Pudera! Se frio é o açoite
         da ausência de tua mão!

                  E seja noite, manhã ensolarada,
                          dia chuvoso, tarde quente;
                                   não durmo até às madrugadas,
                                             absorto em solidão premente...

                                     Ah! não há calor, nada me aquece!
                            Só sinto frio! Na rua, na cama...
                  Tudo é sem cor, nada me apetece!
           Pudera! Se meu corpo o teu reclama!

AurismarMazinho - 11ABR2013
Imagem: Internet - Google  

AURISMAR MAZINHO MONTEIRO
Enviado por AURISMAR MAZINHO MONTEIRO em 24/04/2013
Alterado em 24/04/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.aurismarmonteiro.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras