Aurismar Mazinho Monteiro

Uma pena meramente entusiástica.

Textos


Mares e alma: enigma

Singrar os mares é perscrutar
os profundos abissais...
Qual intento de revelar
o que da alma sai...

Mar revolto, ventos uivantes...
Tensão no rosto, ondas borrifantes...
Assim é a vida de gente navegante,
que deixa em terra amores agonizantes...

Sob sol, sob lua, a aflição tem seu posto;
a rotina é melancólica, dura, castigante;
mormente quando os astros logo têm se posto:
escura agonia, como ondas, vem do horizonte...

Somente da alma o enigma é perfeito.
Tanto que os olhos e a boca cerra,
apenas decifrando-se no peito,
a saudade dos amores em terra.

Ó astros que se puseram!
Ressurjam desse breu!
Quero tornar aos que me esperam,
iluminem esses mares, caminhos meus.



Texto inspirado no vídeo postado por Luiz Padilha no facebook, dia 02MAR2013.

Imagem extraída da internet – Google
AURISMAR MAZINHO MONTEIRO
Enviado por AURISMAR MAZINHO MONTEIRO em 04/03/2013
Alterado em 25/09/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.aurismarmonteiro.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras