Aurismar Mazinho Monteiro

Uma pena meramente entusiástica.

Textos


24 anos da Constituição Cidadã. Letra vã?!

Hoje, 05 de outubro, vésperas das eleições municipais em todo o país, a Constituição da República Federativa do Brasil completa 24 anos de vigência. Como se sabe, devido à inclusão de vários direitos sociais na seara dos direitos fundamentais garantidos ao cidadão, a Carta Política de 1988 ficou conhecida como Constituição Cidadã. Portanto, há 24 anos, estamos sob a égide da propalada Constituição Cidadã.

Por entender bem a propósito, tenciono, nesta crônica, fazer com que o leitor, enquanto eleitor, proponha-se a refletir sobre o exercício da cidadania.

No momento em que formos às urnas, e até diante delas, antes da confirmação dos votos, haveremos de refletir sobre nossas condutas como eleitores bem como - e principalmente - dos que se candidataram aos mandatos pertinentes. Após, cidadãos brasileiros, é só aguardar o resultado das eleições... Bom, o resultado, as consequências...

Pois bem.

Fato é que estamos há 24 anos da promulgação da Constituição Federal. E, pode-se dizer também, ainda estamos esperando que ela seja absolutamente respeitada e, o que seria melhor – portanto, mais esperado – , fielmente cumprida por todos, mormente por nossos governantes. Não me peçam, caros leitores, para citar exemplos de atitudes que caracterizam desrespeito à nossa Carta Magna. Não, pois são inúmeras, flagrantes e deslavadas, as condutas a denunciarem seu descumprimento. E caso o façam, leitores, com certeza me furtarei à façanha de citá-los. Isso porque, além de não me ser possível fazê-lo nestas simples e concisas linhas, pretendo deixar a critério de cada um dos leitores, o devido julgamento das pessoas, especialmente políticos/governantes que violam a Carta. Em outras palavras, cada um, fazendo uso da respectiva consciência, é que processará e julgará, condenando ou não, as pessoas, em especial as detentoras de múnus públicos, com ênfase nos políticos/governantes, em face de suas atitudes, diante das normas constitucionais... Ademais, admita-se, o que é reprovável para mim, nem sempre o será para outrem; daí eu preferir que os senhores tirem suas próprias conclusões acerca do que possa ou não vir a caracterizar uma violação do Texto Maior.

É, caros leitores, há 24 anos o Brasil assistiu ao encerramento dos quase infindáveis trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte, cujo desfecho culminou com a apresentação da Carta Política ao povo brasileiro, que a recebera como retrato da Nova República, a qual estaria alicerçada, primordialmente, nos ditames da liberdade e da democracia... É, caros leitores, 24 anos... E ainda se espera, de muitos, que a Constituição Cidadã não passe de letra vã.

 

Imagem: Internet – professor-josimar.blogspot.com

AURISMAR MAZINHO MONTEIRO
Enviado por AURISMAR MAZINHO MONTEIRO em 05/10/2012
Alterado em 15/10/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.aurismarmonteiro.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras