Aurismar Mazinho Monteiro

Uma pena meramente entusiástica.

Textos


Meu sorriso era tristonho

Não me importa que saias de mim,
mesmo que eu fique a penar.
Viver contigo é tormento sem fim,
daí, ser melhor que te vás.

Acreditei nas juras de amor
eterno que tanto fazias.
Iludiste-me, vivi amargor,
com o peito em constante agonia.

Eu não tinha alegria nem sonhos,
vivendo sem amor junto a ti.
Meu sorriso era curto, tristonho;
sou feliz te vendo partir.

Depressa, vai-te embora!
Deixa-me, dá paz à minha alma!
E não te enganes se agora ela chora;
é alegria, é encontro com a calma.



Imagem: Google – parasolteiros.wordpress.com
AURISMAR MAZINHO MONTEIRO
Enviado por AURISMAR MAZINHO MONTEIRO em 18/07/2011
Alterado em 27/04/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.aurismarmonteiro.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras