Aurismar Mazinho Monteiro

Uma pena meramente entusiástica.

Textos


Adoção

(Minha homenagem ao Dia Nacional da Adoção - 25 de maio)

Vê, elas esperam, elas te olham,
desejam ouvir teu coração.
Lamentando, te imploram,
atrás de uma adoção.

Tão crianças e já sem lar,
sem família, a descoberto...
Dormem ao relento, sob o luar,
destinos vagos, caminhos incertos.

Vivendo pelas ruas,
em frias noites e madrugadas,
são tristes almas e nuas,
caminhando desamparadas.

Há crianças e adolescentes
num grande rol de necessitados.
Vê, o socorro é premente,
a esses jovens abandonados.

Esperançosas são também
as crianças dos abrigos,
à espera de alguém
que ofereça ombro amigo.

Amparar tais criaturas,
livrando-as dos riscos,
é tarefa árdua, dura...
São ovelhas no aprisco!

Por isso solicitam,
as casas de amparo.
De recursos necessitam,
para fazer o seu trabalho.

Esplêndidos projetos,
aos jovens direcionar.
Para, com a união de todos,
dignidade proporcionar.

Vamos de braços dados
acudir sedentas almas.
Com força, irmanados,
radiante em luz e calma.


Imagem: Google - alagoas24horas.com.br
AURISMAR MAZINHO MONTEIRO
Enviado por AURISMAR MAZINHO MONTEIRO em 24/05/2011
Alterado em 10/08/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (aurismarmonteiro.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras