Aurismar Mazinho Monteiro

Uma pena meramente entusiástica.

Textos


Nem sempre... 

Nem sempre somos o que podemos ser.
Nem sempre podemos ser o que somos.
Nem sempre somos o que queremos ser.
Nem sempre queremos ser o que somos.
Nem sempre somos o que quisemos ser.
Nem sempre quisemos ser o que fomos.
Nem sempre fomos o que quisemos ser.
Nem sempre queríamos ser o que fomos.
Nem sempre fomos o que queríamos ser.
Nem sempre podíamos ser o que éramos.
Nem sempre éramos o que queríamos ser.
Nem sempre queríamos ser o que éramos.
Nem sempre éramos o que podíamos ser.
Nem sempre podíamos ser o que fôramos.
Nem sempre somos o que queríamos ser.
Nem sempre podíamos ser o que queríamos.
Nem sempre éramos o que podíamos ser.
Nem sempre seremos o que pudermos ser.
Nem sempre poderemos ser o que queremos.
Nem sempre seremos o que queremos ser.
Nem sempre poderemos ser o que quisermos.
Nem sempre seremos o que podemos ser.
Até poderemos ser o que não queremos,
mas nunca poderemos ser o que nunca seremos!
Nem sempre o querer é para poder ser.
Nem sempre o ser quer poder e querer,
mas sempre o querer é para se poder ser.
Nem sempre fomos o que poderíamos ter sido.
Nem sempre, com poder ou querer,
restará o verbo vencido!
 


Imagem: Google - cucakowalsky.blogspot.com
 

AURISMAR MAZINHO MONTEIRO
Enviado por AURISMAR MAZINHO MONTEIRO em 25/03/2011
Alterado em 19/06/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.aurismarmonteiro.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras