Aurismar Mazinho Monteiro

Uma pena meramente entusiástica.

Textos

Ao sabor do vento
Munido de pensamentos,
ruminando recordações,
viajo ao sabor do vento,
num turbilhão de emoções.
Esqueço-me de mim mesmo,
a cabeça indo embora...
Olho-me no espelho: meu rosto ri e chora...
Fecho os olhos e me transporto
para a infância de outrora...
Vislumbro a morada modesta,
com meus pais e meus irmãos...
Minha mãe, amável e carinhosa;
meu pai, maduro e brincalhão...
Hoje só tenho saudade
daqueles doces dias.
Mas guardo a felicidade
por ter vivido como vivia.
É, hoje me pego assim,
e quase por todo meu tempo:
em doces recordações,
viajando ao sabor do vento...
AURISMAR MAZINHO MONTEIRO
Enviado por AURISMAR MAZINHO MONTEIRO em 25/03/2011
Alterado em 20/05/2011
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras